Alunos do Sesi são finalistas em Feira Brasileira de Ciências

Pela internet, público pode votar em seus projetos favoritos, conhecendo as ideias inovadoras apresentadas por estudantes nas diferentes áreas do conhecimento

22/03/202112:36- atualizado às 12:46 em 22/03/2021

Já pensou em uma paleta de tintas que pode ser explorada pelo olfato, tato e audição, proporcionando maior autonomia de crianças cegas durante as aulas de Artes? Ou um guia que reproduz os rastros dos animais silvestres para garantir a preservação das espécies em áreas rurais que possuem grande fluxo de pessoas? Essas são as ideias desenvolvidas por alunos do Sesi Santa Bárbara d’Oeste selecionadas para a final da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace 2021), promovida pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). A cerimônia de premiação ocorrerá em 27 de março, às 15h, com transmissão ao vivo pelo canal da Febrace no Youtube.

 

O projeto “PACOR, o mundo colorido não visto” foi criado por Maytê Braz de Andrade Mello, aluna do 8º ano do Sesi Santa Bárbara; e o projeto “Rastros Silvestres” foi desenvolvido pelos alunos do 9º ano: Dayane Paspardelli, João Pedro Rodrigues Vintecinco e Mariana Monaro. Os projetos tiveram a orientação da professora Érica Fátima Inácio, que ministra a disciplina Eixo Integrador Interáreas do Sesi, com uma proposta pedagógica interdisciplinar. O PACOR foi coorientado pelo professor Marcelo Lauer, da disciplina de Robótica do Sesi.

 

Esses jovens cientistas do Ensino Fundamental concorreram com estudantes do Ensino Médio e Técnico, em um total de 1,2 mil projetos inscritos em todo o Brasil. Para a final, foram escolhidas 345 propostas científicas. Os vencedores receberão troféus, medalhas, bolsas de estudo e estágios. São cerca de 300 prêmios e oportunidades no Brasil e no exterior. A seleção será feita por um Comitê de Avaliação, que levará em conta, entre outros critérios, a criatividade, a relevância e a qualidade científica.

 

No projeto “PACOR, o mundo colorido não visto”, a aluna buscou proporcionar às pessoas cegas a percepção das cores por meio de outros sentidos. Para isso, foi feita uma pesquisa sobre o sentido e a simbologia das cores e, a partir daí, foi criada a PACOR, uma caixa de tintas com um sistema tecnológico. Nela, as tintas possuem cheiro, um manual em braile e uma audiodescrição, permitindo que as crianças cegas possam desenvolver suas próprias interpretações das cores e do mundo. O projeto também recebeu o apoio do orientador de Educação Digital, Luciano Scognamiglio, e do ex-aluno Matheus Gouvêa Betim. Com esse projeto, a aluna Maytê foi ganhadora do 3º lugar na Categoria Engenharia na Mostra da 3M de 2020.

 

 

No projeto “Rastros Silvestres”, os alunos lançaram um olhar cuidadoso para o crescimento do número de ciclistas durante a pandemia e, consequentemente, o aumento da movimentação de pessoas nas áreas rurais, especialmente nas estradas de terra em canaviais. A pesquisa teve como objetivo estimular a consciência e a responsabilidade dos ciclistas e resultou na produção do protótipo de um guia, alertando para a existência de vida nesses locais, fornecendo informações sobre a fauna, estimulando a convivência em harmonia e apresentando dicas de segurança. Os alunos estabeleceram parceria com o poder público municipal e, como resultado, as informações levantadas por eles foram incorporadas à campanha educativa “Pedal Seguro SBO", desenvolvida pela Prefeitura de Santa Bárbara em parceria com a sociedade civil (representada pelo coletivo Pedala SBO). Essa parceria resultou na elaboração de uma cartilha de boas práticas aos ciclistas, que será confeccionada e distribuída pela Prefeitura.

 

 

Para a professora orientadora dos projetos, Érica Fátima Inácio, estar na final da Febrace é um grande orgulho e traz resultados muito positivos na vida dos alunos e da escola. “Participar da Feira engaja ainda mais os jovens nos estudos e no protagonismo para a vida.  Quando nossa escola abre essa oportunidade de participação em atividades sociais extracurriculares, como inscrição em feiras e elaboração de projetos acadêmicos, estamos trabalhando o verdadeiro sentido da educação, que extrapola o ambiente escolar e mostra os caminhos que os jovens podem trilhar não só na atividade escolar e profissional, mas na vida pessoal e social”, conta Érica.   

 

De acordo com o diretor do Sesi Santa Bárbara, André Luis Vigneron, a proposta pedagógica do Sistema Sesi de Ensino é desenvolver um processo de aprendizagem que valorize o protagonismo do aluno e promova sua autonomia. “Quando eles têm a oportunidade de planejar uma pesquisa, levantar dados, integrar conhecimentos, buscar soluções para problemas, estamos motivando os alunos na busca do saber. E a seleção para a Febrace é um importante reconhecimento de que estamos no caminho certo”, afirma.

 

A diretora da escola, Patricia Furlan, afirma que a concepção de educação do Sesi estimula os alunos a desenvolverem competências que lhes permitam realizar projetos pessoais. “A própria inscrição em feiras e a participação em eventos são ações que vão ao encontro da nossa proposta de conectar o aluno com o mundo social, permitindo o desenvolvimento de habilidades para que eles consigam identificar, a partir do conhecimento que eles possuem, as situações positivas para um projeto de vida”, ressalta.  

 

A coordenadora pedagógica do Sesi Santa Bárbara, Elisangela Lambstein de Moraes, diz que o trabalho pedagógico não se esgotará com o resultado da Febrace. “Vamos promover, dentro da escola, ações de continuidade aos temas trabalhados nos projetos finalistas, como realização de lives, rodas de conversa e palestras, a fim de permitir a troca de saberes e mobilizar a comunidade escolar”, projeta. 

 

Para o secretário de Cultura e Turismo de Santa Bárbara, Evandro Felix, “a contribuição dos alunos do Sesi para a elaboração da Cartilha do Ciclista garantiu um trabalho mais robusto, didático e recheado de conteúdo”. O secretário fez questão de agradecer a preocupação do Sesi e de seus alunos com a fauna local e disse que o município vem se empenhando na execução do Plano de Desenvolvimento do Turismo Rural e Ecoturismo e trabalhando em várias frentes para que no pós-pandemia seja possível ter um turismo mais organizado na zona rural da cidade. “Sou ex-aluno do Sesi e tenho grande prazer em somar forças e estar à disposição da instituição que construiu a base da minha educação”, contou o secretário.

 

 

Público pode participar

 

A Febrace é um movimento nacional de estímulo ao jovem cientista que está em sua 19ª edição, e todo ano realiza na USP uma grande mostra de projetos. A edição de 2021 está sendo totalmente virtual. Pelo site www.febrace.org.br/virtual é possível visitar a mostra e conhecer cada um dos projetos, que conta com um vídeo explicativo feito pelos alunos, um resumo das informações e uma imagem do protótipo desenvolvido. O público pode conferir as ideias inovadoras e escolher suas favoritas, clicando no ícone “curtir” do Facebook que aparece embaixo de cada vídeo. A votação pode ser feita até 29 de março, às 14h.

 

Curta os projetos dos alunos Sesi Santa Bárbara

 

- Projeto PACOR, o mundo colorido não visto  

Aluna: Maytê Braz de Andrade Mello (8º ano do Ensino Fundamental) 

Orientadora: Érica Fátima Inácio  

Coorientador: Marcelo Lauer

Área: Engenharia

https://febrace.org.br/virtual/2021/ENG/152

 

- Projeto Rastros Silvestres

Alunos: Dayane Paspardelli, João Pedro Rodrigues Vintecinco, Mariana Monaro (9º ano do Ensino Fundamental)

Orientadora: Érica Fátima Inácio 

Área: Biologia

https://febrace.org.br/virtual/2021/BIO/63/  

 

Cerimônia de premiação: 27 de março (sábado), às 15h

www.youtube.com/febrace